Recuperação Dependentes Químicos, Alcoolismo e Depressão
Clínica com 38 anos de experiência na reabilitação de dependentes químicos, no tratamento do alcoolismo e depressão.
Ligue (11) 4414-5577
Ou preencha o formulário abaixo

Um ataque de pânico é uma súbita onda de ansiedade e medo oprimido.

Os batimentos cardíacos aumentam e pode haver dificuldades ao respirar. Isso faz com que a pessoa sinta que está morrendo ou ficando louca.

Se não for tratado, esses ataques de pânico podem levar à síndrome do pânico e outros problemas, levando o indivíduo a deixar de executar atividades normais do dia a dia.

Há muitos casos em que ataques de pânico acontecem de repente, sem qualquer aviso prévio e muitas dessas vezes, não há nenhuma razão aparente, podendo surgir quando você está relaxado ou até mesmo dormindo.

Um ataque de pânico pode ser uma ocorrência única, porém em diversos casos são reincidentes. A recorrência de ataques, diversas vezes são desencadeadas por uma situação específica, como atravessar uma ponte ou falar em público.

Normalmente, o que induz um ataque de pânico em um indivíduo é a sensação de perigo e a incapacidade de livrar-se dele.

Uma pessoa perfeitamente saudável e feliz pode passar pela experiência de um ou mais ataques de pânico. Mas esses ataques também podem ocorrer como uma ramificação de alguma outra doença como transtorno do pânico, fobia social ou depressão.

Independente das causas, ataques de pânico são tratáveis de forma eficaz e com estratégias de enfrentamento para que a pessoa possa lidar com os sintomas e retomar o controle de sua vida.

Os ataques de pânico podem ocorrer em qualquer lugar e em qualquer hora, fora ou dentro de casa. Uma pessoa pode ser vítima de um ataque enquanto está em um shopping, andando pela rua, dirigindo o carro ou sentado no sofá de casa.

Tratamento do pânico

A Clínica Maxwell trabalha no tratamento contra o pânico há mais de 38 anos e entende que são muitos os fatores que podem influenciar para ocasionar este tipo de doença.

O foco é ajudar o paciente a enfrentar os ataques de pânico e procurar entender a raiz do problema.

Procuramos esclarecer inicialmente ao paciente, no que chamamos de Reunião dos Novos, a dinâmica do tratamento e do procedimento psicoterapêutico a que o paciente será submetido.

O método de tratamento da Clínica Maxwell inclui interferência medicamentosa, socioterapia, grade de atividades terapêuticas e instalações sofisticadas para propiciar o ambiente terapêutico mais agradável para refazer o projeto de vida e readquirir a esperança de uma vida melhor.

Nos preocupamos para que as atividades não se tornem apenas mera ocupação de tempo, mas sim aprendizados em todo o seu sentido.
 
Fale com a Clínica Maxwell – (11) 4414-5577

Sinais e sintomas de um ataque de pânico

Os sinais e sintomas de um ataque de pânico podem se desenvolver rapidamente e, geralmente, atingem o seu pico em até 10 minutos.

A maioria dos ataques terminam em um intervalo de 20 a 30 minutos, e eles raramente duram mais que uma hora.

Um ataque de pânico inclui uma combinação dos seguintes sinais e sintomas:

  •  Falta de ar ou hiperventilação (aumento da quantidade do ar que passa pelos pulmões);
  • Palpitações do coração ou batimento acelerado;
  • Dor ou desconforto no peito;
  • Tremor;
  • Sufocamento;
  • Sentir-se irreal ou fora do seu entorno;
  • Sudorese;
  • Náuseas ou dor de estômago;
  • Tontura ou fraqueza;
  • Dormência ou sensações de formigamento;
  • Sensações de frio ou calor;
  • Medo de morrer, perder o controle ou enlouquecer.

Ataque cardíaco ou ataque de pânico?

A maioria dos sintomas de um ataque de pânico são físicos, e muitas vezes esses sintomas são tão graves que as pessoas o confundem com um ataque cardíaco.

Na verdade, muitas pessoas que sofrem de ataques de pânico comparecem a médicos e pronto-socorro repetidas vezes na tentativa de obter tratamento para o que elas acreditam ser um problema cardíaco.

Embora as visitas sejam importantes para descartar essa possibilidade, os sintomas como dor no peito, palpitações cardíacas ou dificuldade de respirar muitas vezes é um ataque de pânico, que é negligenciado como uma potencial causa.
 
Saiba mais sobre a Clínica Maxwell – (11) 4414-5577

Sinais e sintomas de transtorno de pânico

Muitas pessoas já tiveram ataques de pânico uma vez, sem reincidência. Há poucas razões para se preocupar caso haja um ou dois ataques.

No entanto, algumas pessoas tiveram ataques de pânico recorrentes e passaram a desenvolver o transtorno do pânico, que é caracterizado por ataques repetidos, combinado com grandes mudanças no comportamento ou ansiedade persistente sobre ter novos ataques.

A pessoa pode estar sofrendo de transtorno do pânico caso apresente alguns desses sinais:

  • Frequentes ataques de pânico em situações inesperadas que não estão vinculadas casos específicos;
  • Muita preocupação sobre ter um novo ataque de pânico;
  • Comportamento diferente devido a ataques de pânico anteriores, como evitar lugares onde o ataque já tenha ocorrido.

Embora um ataque de pânico possa durar apenas alguns minutos, os efeitos da experiência pode deixar uma impressão duradoura.

Se a pessoa possui o transtorno do pânico, os ataques de pânico recorrentes podem atingir o estágio emocional. A memória do medo intenso e o terror que a pessoa sentiu durante os ataques podem impactar negativamente em sua autoconfiança e causar graves perturbações à sua vida cotidiana.

Eventualmente, pode levar aos seguintes sintomas do transtorno do pânico:

  • Ansiedade antecipatória – Ao invés de sentir-se relaxada e segura entre os ataques de pânico, a pessoa sente-se ansiosa e tensa. Essa ansiedade deriva um medo de novos ataques. Este “medo do medo” fica presente na maior parte do tempo, e pode ser extremamente incapacitante.
  • Evitação fóbica – A pessoa começa a evitar determinadas situações ou ambientes. Esta prevenção pode ser baseada na crença de que a situação que está sendo evitada foi a que lhe causou o ataque de pânico anteriormente. Ou a pessoa pode evitar lugares onde o escape seria difícil ou a ajuda, caso haja um ataque de pânico, estaria indisponível. Levado ao extremo, a evitação fóbica pode tornar-se agorafobia.

Transtorno do pânico com agorafobia

A pessoa com agorafobia tem medo de ter um ataque de pânico em uma situação onde a fuga seria difícil ou embaraçosa, ou então quando ela possui o medo de ter um ataque de pânico em um momento em que não seria capaz de obter ajuda.

Devido a esses medos, começa a evitar cada vez mais situações como, por exemplo, lugares lotados como shopping centers.

Passa a evitar também carros, aviões, metrôs e outras formas de viagem. Em casos mais graves, o único local em que a pessoa se sente segura é em sua casa.

Embora a agorafobia possa se desenvolver a partir de qualquer ponto, normalmente aparece dentro de um ano de seus primeiros ataques de pânico recorrentes.
 
Problemas com pânico? Envie um formulário ou ligue agora – (11) 4414-5577